Notícias
Compartilhar
12/04/2021

Entrevista – AF Maria Helena Mattedi

Dando continuidade à série de entrevistas com Auditores Fiscais aposentados, o IAF conversou com Maria Helena Mattedi. No bate-papo ouvimos sobre sua trajetória profissional e a vida pós-aposentadoria. Em resumo, uma história de desafios, conquistas e descobertas.

Pós-Aposentadoria: “Gosto de ter tempo para ler e viajar”

Nascida no Rio de Janeiro, Maria Helena Mattedi iniciou os estudos no estado do Espírito do Santo, onde estudou em escola pública, trabalhou na Secretaria de Educação e fez o curso de Engenharia na Escola Politécnica. Seu primeiro laço com a Bahia foi feito através do amor. Apaixonou-se por um colega baiano e mudou-se para terras soteropolitanas, onde passou no concurso para a então Secretaria de Águas e Esgotos do Recôncavo (SAER), hoje EMBASA.

Sua competência e dedicação ao trabalho e lhe rendeu o convite para ser professora na Escola Técnica Federal da Bahia (ETFBA), em 1967. Cinco anos depois foi convidada para se licenciar da SAER para trabalhar na Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (PRODEB), que estava sendo criada. Na Companhia, Maria Helena ganhou destaque com a projeção de sistemas para a Secretaria da Fazenda, a exemplo dos sistemas de cadastro e arrecadação.

Em 1993, passou no concurso para Auditora Fiscal, tendo tomado posse em 1998. Após passagem pela DTI, foi transferida para a DITRI onde trabalhou até a aposentadoria, em 2004. Entre os principais legados deixados por ela, destaca-se o CPT (Sistema de Controle de Pareceres Tributários) e a sua integração com o SIPRO (Sistema de Protocolo). “Me orgulho muito do reconhecimento que tive dos colegas e dos usuários dos sistemas que projetei”, lembra.

Ao ficar mais de um mês sem sair de casa em direção ao Centro Administrativo da Bahia, Maria Helena sentiu definitivamente que estava aposentada e que era hora de adapta-se à nova rotina. “Sempre fui uma boa cozinheira, mas aprimorei meus dotes durante a aposentadoria. Aproveito o tempo livre para colocar em prática duas paixões: ler e viajar. Me sinto orgulhosa por tudo que conquistei e produzi ao longo da minha jornada profissional, mas a minha família é o meu bem maior. Gosto muito de estar com todos juntos”, conta.

Tomando os cuidados necessários, diante da nova pandemia do coronavírus, Maria Helena tem feito um tipo de isolamento itinerante na casa dos filhos. “Fiquei seis meses na casa de minha filha no Rio Grande do Sul e, recentemente, fiquei dois meses na casa de meu filho em Itacimirim. Sigo tomando todos os cuidados e sendo sempre grata pela dádiva da vida”, finalizou.

IAF – Trabalho e Transparência!

Notícias Relacionadas