Notícias
Compartilhar
30/09/2020

Entrevista – AF Geraldo Brito

Quando Santo Agostinho deixou como reflexão a seguinte frase: “mesmo que tu já tenhas feito uma longa caminhada, há sempre um caminho a fazer”, não imaginou que muitos levariam este ensinamento para a vida. E o Auditor Fiscal aposentado, Geraldo Brito foi um deles. 

Nascido no município de Cocos, Bahia, Geraldo só iniciou o curso ginasial aos 17 anos, na cidade de Campo Formoso. Aos 21 anos mudou-se para Salvador e foi aprovado no concurso para a Petrobras. 

Na estatal, em 13 anos, ele desenvolveu atividades nos setores Financeiro e Planejamento/Orçamento, participando de diversos cursos especiais. Formado em Estatística Superior e Ciências Econômicas, foi professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e tornou-se assessor na Secretaria de Planejamento do Estado da Bahia (Seplantec). 

Em 1978, por meio de concurso, entrou para o quadro de Auditor Fiscal do Estado da Bahia. “Nessa Secretaria  desenvolvi atividades na programação financeira do Estado da Bahia, exercendo a função de Chefe da Assessoria Econômica , onde foi possível realizar vários trabalhos relacionados à administração tributária e a economia baiana, assim como, prestava assessoria ao Secretário Estadual  nas reuniões do CONFAZ – Conselho Nacional de Política Fazendária e nos encontros com secretários de Fazenda dos estados. Ainda na pasta fazendária, pude fazer o curso de Administração Fazendária, na Escola de Administração Fazendária – ESAF, em Brasília”, contou.

Durante a carreira, Geraldo Brito fez valer a frase de Santo Agostinho. Foi Consultor do Ministério de Educação (1986); Membro do Conselho dos Economistas da Bahia (1987-1990); Presidente do Conselho Fiscal da AMESA (1987); Membro do Conselho Fiscal da PRODEB (1988-1990); Membro do Conselho Fiscal do DESENBANCO (1987-1990); Professor Examinador dos Concursos de Professores da UEFES (2006-2010).   

Em 1991 aposentou-se da Sefaz e em 2002 da Universidade Federal da Bahia como professor adjunto IV. Aposentado do serviço público, continuou atuando na Universidade Católica até que sentiu a sensação de dever cumprido e aposentou-se por inteiro em 2012.

E pra quem achou que ele já tinha feito uma longa caminhada outra foi iniciada. Aposentado, Geraldo viajou para os Estados Unidos e diversos países da América do Sul e da Europa. Passou também a dedicar-se aos esportes e ao estudo de novos idiomas.

Em casa, cumprindo o isolamento social com a família, Geraldo ressalta que segue esperançoso com a cura da Covid-19 para retomar as viagens planejadas. “Sigo esperando dias melhores para voltar a realizar nossas viagens. Como dizia o poeta Fernando Pessoa ‘para viajar basta ‘existir'”, finalizou.

IAF – Trabalho e Transparência!

Notícias Relacionadas