Notícias
Compartilhar
27/05/2020

Entrevista – AF aposentado Nilo Crusoé

Fruto do encontro entre aposentados e pensionistas realizado no mês de março/2020, a Diretoria de Assuntos de Aposentadoria e Pensão – IAF está dando início a uma série de entrevistas com Auditores Fiscais aposentados para destacar histórias de vida e as realizações destes profissionais que muito contribuíram para a nossa categoria.

O primeiro entrevistado da série é o Auditor Fiscal aposentado Nilo Crusoé. Com muita tranquilidade, paciência e leveza ele nos contou sua trajetória, seus hobbies e principais ações. Confiram:

PÓS APOSENTADORIA: “Descobri que gosto de exercícios físicos”

Com 85 anos a serem comemorados em julho, casado há 53 anos e pai de três filhos, Nilo Crusoé construiu uma trajetória de sucesso ao longo da carreira.

Sua história na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia foi iniciada em 1957 na Divisão de Arrecadação do Departamento da Receita, onde analisava e emitia pareceres em processos de natureza fiscal. Em seguida Crusoé fez concurso para Escrivão de Coletoria e foi idealizador da criação da Secção de Estudos Fiscais, tornando-se o primeiro ocupante chefe. “Em 1964, prestei vestibular para a Faculdade de Economia da UFBA.

Após formado, por indicação do titular da pasta, realizei um curso de Administração Financeira na “University of Connecticut” nos Estados Unidos. Em 1971 fui nomeado Diretor Geral da Receita e quatro anos depois fui nomeado Delegado Regional em Simões Filho, onde atuei por 11 anos”, contou.

Incessante na busca pelo saber e por novos desafios, Nilo Crusoé fez concurso para Auditor Fiscal e trabalhou por mais 12 anos, até a aposentaria. Mas engana-se quem pensa que ele encerrou as atividades. Diante da trajetória idônea, foi convidado a exercer o cargo de Chefe de Gabinete da Secretaria, onde permaneceu até 1997. “Meu maior orgulho foi ter deixado meu legado como economista e minha marca na Sefaz.

Primeiro, com a criação da Secção de Estudos Fiscais, e depois com a idealização, como Delegado Regional, dos Relatórios de Previsão de Arrecadação Anual e Resumo, e do Resultado de Arrecadação, por setores de atividades, até então inexistentes”, destacou.

Sobre a vida pós aposentadoria, Crusoé ressalta que tem dedicado o tempo aos filhos e netos. “Entre 2007 e 2009, quando me vi sem muita atividade pós aposentadoria, fui morar no interior do estado, em Morro do Chapéu, onde me dediquei à cafeicultura até 2014.

Depois retornei à capital e continuo cuidando dos filhos e netos que às vezes necessitam de nossa ajuda. No entanto o melhor de tudo foi descobrir que gosto de fazer exercícios físicos como hidroginástica, pilates e caminhadas na esteira. Atividades que abdiquei por longos 39 anos dedicados ao trabalho”, contou.

Sempre atento às demandas sociais, Crusoé aproveitou para comentar também sobre a atual situação de isolamento devido ao coronavírus e alertar sobre os cuidados necessários.

“Não podemos fugir do assunto mundial que é o coronavírus, sem dúvidas é um período muito difícil, principalmente, para quem é idoso como eu. Estou seguindo, rigorosamente, as normas de ficar em casa, usar máscara e álcool em gel. Saio somente por estrita necessidade. Espero que todos fiquem em casa também para que possamos vencer, urgentemente, esta pandemia”, completou.

IAF – Trabalho e Transparência!

Notícias Relacionadas